Skip to content

ZEITGEIST – Meu enfoque

20/07/2011

Acabei de assistir ZEITGEIST e nem sei por onde começar. O filme até começa bem, apoiando-se em muitas das idéias de Sêneca, porém sem metade de sua clareza e simplicidade. Avançando  um pouco começa a ficar confuso…eu te confundo, te atrapalho, te desorganizo e te convenço do que eu quiser, certo? 😉 Aí vem o ápice, sim logo no iníco: “Quanto mais investigamos mais nos damos conta de que fomos ENGANADOS?” Sim, somos pobres seres irracionais que vagam pelo mundo procurando fazer sentido. Não existe livre arbítrio, nem no pensamento? A verdade é que ninguém nos engana, somos nós os únicos culpados por não percebermos as fraudes. Enfim, sempre há como escapar da mentira pela liberdade do pensamento. Fato! As intituição religiosas estão mesmo na base de toda a sujeira do mundo, concordo…considerando-se a grande quantidade de escolas e universidades que foram subsidiadas por “elas”. Se o homem usa o conhecimento sem sabedoria, com certeza, achamos o bode expiatório pra todo caos da sociedade atual. Mas espere, eu lembro de ter ouvido algo sobre “todas as coisas que vivemos são experiências incondicionais, elas não vêm com uma etiqueta dizendo “isto é mau” ou “isto é bom”. Então coloca logo a etiqueta do “MAU” na religião, amigo. E de onde vem esse povo que quanto mais estuda mais lógicas as coisas ficam e tudo é descoberto? Porque eu quanto mais estudo, mais me dou conta da minha ignorância. [Stay hungry, stay foolish (Steve Jobs)]. Parabéns aos felizardos que acreditam que a evolução é limitada! [Lifelong learning]. Não esqueçam do aviso dado logo no início do filme, o mundo é cheio de mentiras, e só “A Verdade vos Libertará”. (João 8:32) E continua falando o narrador que tem asco de religião mas pega emprestado alguns dogmas religiosos pra defender os seus! Vai o zangado, como a criança que descobre que os pais não são super-heróis com super-poderes e, sim, humanos. Não é de se assustar que ele mude até o tom de voz, a criança que ainda não saiu da fase do pensamento concreto está furiosa. Freud explica! Quando adquirimos o pensamento abstrato, ao redor dos 13 anos, passamos a refletir sobre as circuntâncias e as razões, assim as decisões tornam-se um pouco mais complexas. É engraçado como ZEITGEIST condena o duelo do bem contra o mal…e ops! Não mede esforços pra embasar a sua teoria de que a religião é o grande MAL (e MAU) da humanidade, será? Eu ainda não me convenci. A partir daí começa a brincadeira do telefone sem fio, Hórus que era o sol e a cruz que era o cruzeiro do sul viram Jesus e a Crucificação, pra resumir a história. Eureca! Bingo! Bazinga! E continua a análise concreta…o dilúvio, Moisés e os 10 mandamentos. Aí vem um locutor de stand-up comedy fazer piada com os dinossauros! (Sensacionalismo?) Bom, para aqueles que fazem interpretações literais do mundo a explicação literal e concreta apresentada até aqui deve ter sido mesmo a “salvação”. Símbolos são usados para interpretar símbolos e dogmas são usados para discordar de dogmas!! Vamos trocar seis por meia dúzia? Interessante esta linha de raciocínio! Cuidado com o ceticismo, lembre-se exitem mentiras por todos os lados! Eu disse TODOS! Tá e de onde saiu esse Josué agora? Não era pra aparecer lá com o Hórus? Erro de continuidade! Damit! Segue uma revalação sem a qual eu não poderia viver sem, Cristo não é um nome, e sim uma titulação e significa “o escolhido”!!! PAREM O MUNDO! Eu pensava que todos os nomes tinham um significado, não? Tá o cristianismo foi criado pra reduzir a responsabilidade do homem sob a premissa que Deus controla tudo? Mas, “Djisus”, o que o filme lutou até agora foi pra culpar a religião das responsabilidades do homem?! Que diferença faz? O mito da religião é realmente muito poderoso, uma vez que o filme não consegue soltar os grilhões que o acorrentam a ela! E cadê propor soluções pra todo esse caos que a religião criou?? Parei na parte I, não vou ver o resto do filme mas dei uma lida na internet sobre do que se tratam os próximos. Vamos achar um culpado e vamos te mostrar a verdade. Obrigada!

Pensamento Reflexivo:

Independente de acreditar no filme ou no Cristianismo: Se os humanos começassem a procurar as respostas dentro de si, em vez de fora, nossa sociedade não estaria tão doente…a chave da liberdade que mostra a verdade está dentro de cada um. “There´s Plenty of Room at the Bottom” (Richard Feymann)

E pra confundir: “The real voyage of discovery consists not in seeking new lands, but in seeing with new eyes.” – Marcel Proust

Anúncios

From → Filosofia, Reflexões

Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: