Skip to content

Harry Potter e a sociedade maniqueísta

24/07/2011

Se você ainda não assistiu ao último Harry Potter e pretende assistir, não leia.

Mesmo não tendo assistido à todos episódios de Harry Potter fui ao cinema conferir o final das aventuras do bruxinho.

Confesso que nos primeiros 40 minutos do filme fiquei totalmente perdida, nunca consegui gravar tantas personagens diferentes ou a ordem cronológica que elas apareciam…Mas perseverei e na metade do filme tudo começou a fazer sentido.

.

.

Harry Potter e as Relíquias da Morte: Parte 2 trata-se da luta do bem contra o mal. O retrato da sociedade maniqueísta que vivemos que tenta sempre desvincular um do outro. Harry, o bruxinho mais poderoso do bem, é também o mais perseguido pelo mal e esfrenta bravamente os desafios que vão aumentando gradativamente de dificuldade. O interessante é que Harry acaba descobrindo que tem um lado negro dentro de si! Sim, um pouco de Voldemort vive dentro de Harry. E nesse aspecto ponto pra J. K. Rowlling…será Harry um herói humanizado? Então começa a grande batalha e Harry descobre que para salvar a humanidade do mal precisa se entregar e morrer! E é isso que o bruxinho faz bravamente, sem medo da morte. Eis que Harry morre somente com um objetivo, matar o mal que existe dentro dele e retornar puro para assim poder aniquilar o “lado negro da força”. Enquanto acham que Harry está morto, seus “discípulos” pregam que apesar de morto, o coração do bruxinho baterá para sempre dentro de todos para fazer o bem. E isso me faz lembrar de outra história, contada e recontada tantas vezes.

Harry ressuscita (?!), volta para salvar a humanidade do mal/mau e no fim do filme se descobre que ele só conseguiu vencer, pois a varinha de Voldemort também obedecia à ele. Dessa forma, talvez ele não tenha se desvinculado do mal tanto assim!!! A última cena do filme, no meu enfoque, é a mais importante e, diante dela não me importo de ter pulado etapas e não ter assistido a todos os  filmes da série. Harry conversa com Harmione e Ron na beira de um abismo e mostra a varinha de Voldemort, a mais poderosa do mundo, com a qual conquistaria dominaria tudo. Hermione e Ron perguntam o que ele vai fazer, ele a quebra ao meio e atira no penhasco. E talvez aí resida a bondade mais pura e a maior de todas as riquezas: ser capaz de renunciar a este tipo de poder!!!! Pra que serve dominar o mundo quando não se domina (conhece) a si mesmo? Melhor ainda, pra que serve dominar o mundo quando se domina (conhece) a si mesmo?

Harry Potter…livrai-me de todo mal. Amém!

Anúncios
2 Comentários
  1. Igor permalink

    Leitor assíduo dos seus textos. Sempre que possível passarei aqui pra lê-los. Beijo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: